Posts recentes

Série: os tipos de sistemas de informação para sua empresa- SIGs


Bem-vindos a mais um artigo da nossa série sobre os tipos de sistemas de informações para sua empresa. Em nosso último artigo, falamos um pouco sobre Sistemas de Processamento de Transações (SPTs). Esses sistemas se enquadram no nível operacional da empresa. Hoje vamos nos debruçar sobre os Sistemas de Informações Gerenciais (SIGs).

Os SIGs são sistemas muito importantes para o nível tático da empresa. Aquelas decisões de departamento em nível médio de gerência. Esse nível não é tão elementar e “mecânico” como os que se localizam os SPTs, que atuam em nível operacional, mas também não são de alto nível gerencial a ponto de servirem como subsídios para decisões estratégicas de uma empresa.

Os SIGs costumam aproveitar dados coletados e organizados pelos SPTs e extrair relatórios, gráficos e outras informações importantes em nível gerencial médio ou departamental na empresa. Um gerente de setor, um encarregado de uma parte da empresa e funcionários de gerência média (e interna) na empresa utilizam esses sistemas para tomar decisões mais assertivas.

Para o bom funcionamento de um SIG é relevante que os SPTs estejam em perfeito funcionamento, uma vez que são eles que alimentam os SIGs com dados primários para que seja possível extrair conhecimentos daqueles dados. As análises dos SIGs não seguem nenhum algoritmo complicado ou grandes recursos computacionais necessariamente. Podem gerar relatórios simples que auxiliem os gerentes imediatos em suas decisões diárias.

Outro fator relevante para o bom funcionamento de um SIG é que a equipe esteja habituada a extrair relatórios e gráficos dos SPTs e que haja uma cultura do uso de metas e indicadores para mensurar com clareza as informações a serem avaliadas e usada para as decisões.

Um SIG bem estruturado e planejado é como meio de campo de um time de futebol. Funciona como a transição entre defesa e ataque para o gol. É o coração dos processos produtivos da empresa, fazendo a função de ligar as estratégias ao operacional da empresa por meio de táticas bem planejadas. Qual técnico não gosta de um meio de campo criativo e operante em seu time!? Até mais!

Fernando Montini é cientista de dados, programador, pedagogo, químico industrial e mestre em Biologia.

Escreve para o blog sobre tecnologia na área de Ciência de Dados, Business Intelligence e Mercado Financeiro.


124 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
VEJA TAMBÉM